Esoterica VI – O Bin Laden das Diskettes

A notícia de que Bin Laden usava chaves USB para enviar email fez-me lembrar uma historieta…

No início da Esoterica, algures em 93, quando ela era apenas eu e o Luis Sequeira (mais tarde juntaram-se 3 sócios do Porto que não conheciamos de lado nenhum mas que queriam revender o serviço no Porto), apenas disponibilizavamos email e Usenet news. Não tinhamos uma linha dedicada, era tudo feito por ligações modem USR a intervalos regulares, usando o protocolo UUCP. Então e websites e tal? Não era problema, ainda não existiam websites.

Com modems a 9600 bps é bom de ver que a largura de banda existente não dava para tudo: só podiamos ligar durante X minutos, não podiamos ter a linha sempre ligada (uma fortuna em períodos telefónicos); o email não era problema, a não ser que alguém se lembrasse de enviar ficheiros em attach (coisa rara na altura); o email não era problema mas as news eram, especialmente se nos pediam (e pediam) grupos como alt.binaries.pictures.erotica.* ou o alt.binaries.software.

Vai daí então montámos a nossa própria SneakerNet: trabalhávamos ambos no LNEC, um dos únicos sítios em Portugal com acesso Internet permanente; duas vezes por dia, ao almoço e depois ao jantar, fazíamos o download das mensagens dos newsgroups mais interessantes ou requisitados; gravávamos em diskettes; e depois íamos ao servidor da Esoterica colocar as mensagens disponiveis localmente. A Amazon ainda não tinha aparecido, mas estávamos muito à frente dela.

E foi assim que eu me tornei o Bin Laden das diskettes.

 

One comment

  1. Heh. Esta “mania” da sneakernet levou a que, muitos anos mais tarde, ainda se julgasse que a Esoterica tinha um acesso à Internet “pirateado” do LNEC…