Uncategorized


11
Jan 20

APBC checkpoint

 

Nao sou um tipo que goste muito de grupos e de ajuntamentos. Sou individualista por natureza; disponivel para cooperar; renitente se a pertenca a este ou aquele grupo me for imposta.

Sempre me fez muita impressao a tendencia q existe na Tugalandia para, quando confrontado com mudancas e oportunidades, em vez de criar empresas o tuga trate logo de criar eventos, meetups, jantas, confs e associacoes.

No caso em apreco neste post: ha 2 anos atras nao tive problema em fazer parte do grupo de pessoas que criou a Associacao Portuguesa de Blockchain e Criptomoedas. Era obvio que era necessaria uma voz para responder ‘a ignorancia da comunicacao social e dos politicos. Nenhuma empresa sozinha teria alavancagem para interagir com esses intervenientes.

Isto mostra que, como individualista, estou mesmo assim disponivel para ser membro de coletivos que facam sentido. Nomeadamente, e em particular para mim, acho que faz sentido uma pessoa pertencer a um colectivo enquanto 1) retirar dessa participacao beneficios e/ou 2) com a sua participacao puder trazer beneficios ao colectivo. De preferencia as duas coisas ao mesmo tempo.

Serve isto para dizer que, apos 2 anos de disponibilidade na construcao da APBC, verifico que neste momento nao acontece nenhuma das 2 condicoes. Nem retiro beneficio de participar activamente na mesma (se calhar ate’ terei prejuizo, mas nao entro em detalhes) e nem sinto que o meu conhecimento e participacao seja requerida e reconhecida (mais uma vez se calhar ate’ acontece o contrario, mas nao vou entrar em detalhes).

Tendo um conjunto de iniciativas em arranque que exigem que eu clarifique a minha posicao e participacao na APBC, comuniquei ja’ ao presidente da APBC a minha decisao de deixar de participar activamente na associacao. Manter-me-ei como socio, mas deixarei de participar nos corpos sociais ou de desempenhar qualquer papel activo.

Continuo a acreditar que a APBC e’ uma organizacao necessaria e que tem um papel a desempenhar em Portugal no que diz respeito ‘a nascente industria da blockchain e dos criptoativos e desejo que futuramente esse papel seja cada vez mais concreto e proactivo.


24
Feb 19

Esoterica VIII – A Perspectiva do Oportunista

 Mostly true facts. A few wrong facts.

Big wrong statement: “we were also lucky because every one of us was, we were nice guys, you know, and we could be trusted.”

Nope, you were not a nice a guy and you shouldnt have been trusted. You were a fucking backstabber who betrayed all the other four founders.

[https://mixergy.com/interviews/antonio-ferreira-esoterica-interview/]


2
Nov 18

The Age of Metapreneurship: 21st Century Entrepreneurship…

safe_image.php… or “What Has Been Happening With Me in the Last 5 years”.

“Entrepreneurs are surrounded by such institutions – economic development organizations, universities, incubators and accelerators, advisors and mentors. Like our union lady, they were once beautiful, attractive and effective. These institutions are teaching techniques and tools that are becoming duller and duller. Leaders of these organizations are like our generals. They are intelligent and determined to win the next war – but the terrain is changing too fast. Being an entrepreneur in one of these institutions can be like being a soldier trained to defend the Maginot line.”

Continue reading →


22
Jan 17

A Diferença Entre Direita e Esquerda


Para referência futura e a propósito da azia dos “democratas” americanos e das manifestações mundiais da esquerda fascista:
 
A diferença entre direita e esquerda…
 

Continue reading →


18
Dec 15

Star Dorks

disney-star-wars-mashups-21 Na nomenclatura usada para se classifcar os hipsters há 3 niveis: geeks, nerds e dorks. Os fanáticos do Star Wars (não digo os fãs, que é algo diferente) estão no pior escalão: são dorks. Gostavam de ser nerds e ambicionam ser geeks. Mas, temos pena, são dorks. Em especial aqueles zelotas que apenas recentemente se converteram à religião (os piores). Estou no Cinema Condes e 1980 quer os filmes originais de volta.

Quando vi os originais achei giros. Mas não mais do que isso. Eu explico-vos o meu “problema” com o Star Wars: shallowness, em Português “xalouneite”. Mentira, é “superficialidade”. É isso. Muita parra e pouca uva. Muito detalhe superficial e pouca produfundidade de história.

Continue reading →