Uncategorized


22
Jan 17

A Diferença Entre Direita e Esquerda


Para referência futura e a propósito da azia dos “democratas” americanos e das manifestações mundiais da esquerda fascista:
 
A diferença entre direita e esquerda…
 
Quando um tipo de direita não gosta de tourada, não vai à praça de touros assistir.
Quando um tipo de esquerda não gosta de tourada, tenta proibi-la.
 
Quando um tipo de direita não gosta de armas, não as compra.
Quando um tipo de esquerda não gosta de armas, quer proibi-las.
 
Quando um tipo de direita não gosta de tabaco, não fuma.
Quando um tipo de esquerda não gosta de tabaco, não descansa até que seja vetado ou proibido.
 
Quando um tipo de direita é vegetariano, simplesmente não come carne.
Quando um tipo de esquerda é vegetariano, ele faz uma campanha contra os produtos à base de proteína animal.
 
Quando um tipo de direita é homossexual vive a sua vida tranquilamente como tal.
Quando um tipo de esquerda é homossexual faz escândalo para que todos o respeitem como tal.
 
Quando um tipo de direita é prejudicado no trabalho reflecte sobre como sair dessa situação e agir.
Quando um tipo de esquerda é prejudicado no trabalho, faz greve mais uma queixa contra a discriminação que sofreu.
 
Quando um tipo de direita não gosta de um programa de TV, desliga-a ou muda de canal.
Quando um tipo de esquerda não gosta de um programa de TV, processa o canal do programa que não gosta.
 
Quando um tipo de direita é ateu, não vai à igreja, sinagoga ou mesquita, ao sábado ou domingo fica a ler o jornal, e inclusivé fica na fila para o comprar com aqueles que vão ou retornam da igreja.
Quando um tipo de esquerda é ateu, não quer qualquer referência a Deus em qualquer lugar, em qualquer esfera pública, e as reivindica contra as religiões (excepto contra a do Islão).
 
Quando um tipo de direita tem um problema financeiro sério, trabalha mais, tenta pagar as suas dívidas o mais rápido possível, e poupa.
O de esquerda acusa o governo (se é de direita), os empresários, a burguesia, o Estado, o capitalismo, a globalização, o pai, a mãe, a sua raça, o gato e o bombeiro .
 
Quando um tipo de direito, le este artigo, ri, e divulga-o até pelos seus amigos sejam eles de esquerda ou direita…
O de esquerda fica furibundo, chama logo o autor de fascista e insulta com um chorrilho de asneira quem o publicou.
 
José Cavalera

18
Dec 15

Star Dorks

disney-star-wars-mashups-21 Na nomenclatura usada para se classifcar os hipsters há 3 niveis: geeks, nerds e dorks. Os fanáticos do Star Wars (não digo os fãs, que é algo diferente) estão no pior escalão: são dorks. Gostavam de ser nerds e ambicionam ser geeks. Mas, temos pena, são dorks. Em especial aqueles zelotas que apenas recentemente se converteram à religião (os piores). Estou no Cinema Condes e 1980 quer os filmes originais de volta.

Quando vi os originais achei giros. Mas não mais do que isso. Eu explico-vos o meu “problema” com o Star Wars: shallowness, em Português “xalouneite”. Mentira, é “superficialidade”. É isso. Muita parra e pouca uva. Muito detalhe superficial e pouca produfundidade de história.

Por exemplo, a diferença com o “Senhor dos Anéis” (que já passou a moda): este último parte de uma colecção de livros e de um imaginário profundo para uma versão em cinema (e outros artigos); o Star Wars parte de um ou dois filmes originalmente com pouca história a que depois é “colado” com detalhes para parecer que é profundo. Como já li hoje: uma história de um orfão camponês que se radicaliza quando matam a sua família. Depois junta-se a uma religião que num ataque terrorista mata 300.000 pessoas.

A produção artistica pode ser medida de acordo com a sua profundidade (conceito) e a sua superficialidade (detalhes). Exemplos: pop art, superficial e pouca profunddidade; surrealismo, superficialidade e profundidade; Harry Potter, nem superficialidade nem profundidade. O Star Wars tem superficialidade mas pouca profundidade. Montes de bonecos e tshirts mas depois livros escritos a granel mas nenhum realmente importante conceptualmente. É que nem sequer é “ficção cientifica” de jeito.

O “Senhor dos Anés”: obra profunda, estruturada, com a superficialidade aumentada posteriormente. O “Dune”: obra profunda, estruturada, com pouca superficialidade, alguma recente. O “Rambo”: obra pouco profunda e superficial (pensem tipo “Rambo XX1, O Espirito do Guerreiro Volta ao Templo de Shaolin”)

E é isto. Ide ler o “Dune”; não vos digo para ver o filme que é dificil de compreender (profundidade); mas ide ver a série de TV, “Frank Herbert’s Dune”. Ide ler os livros de base do “Senhor dos Anéis”, em especial a ‘Biblia’ do universo do “Senhor dos Anéis”, o “Silmarilion”. Ide ver o “Espaço 1999” e depois dêem noticias.


3
Feb 15

O Ovo, a Galinha e a Internet

LNEC

 Um amigo enviou-me ontem uma digitalização de uma página da Exame Informática, vide abaixo. Não sei porque é que a questão se continua a levantar. Quem veio primeiro, o ovo ou a galinha? E quem tem uma pilinha maior? Eu acho que sou eu (e o Luis Sequeira). Quem tiver uma maior, GIF or it didnt happen.

ScreenShot_046

Vamos começar um bocado atrás, 1991/1992. Estas páginas sobre a “Historia da Internet em Portugal“, criadas pelo prof. Legatheaux Martins (de quem fui aluno), esclarecem uma série de coisas sobre o principio da Internet em Portugal. Sendo certo que as informações dadas têm algumas falhas. Vide imagem abaixo, retirada de um trabalho que fiz para o PUUG no fim de 1992. Quando este documento foi entregue já eu estava a estagiar no LNEC onde tinha acesso Internet permanente. Deve ser por isso que o professor não estará lembrado deste trabalho.

1509204_10201848229785705_987641102_n

O meu estágio no LNEC era na área de “Multimédia e Hipertexto” consistia em criar um sistema de gestão de documentos, incluindo comparação com outros sistemas. Um desses, usando o formato HTML e o protocolo HTTP, acabou por se tornar no que hoje designamos por Web. Vidé abaixo algumas páginas do meu trabalho final de estágio, desenvolvido entre 1992 e 1993, ano em que foi apresentado.

0001000200030004Nesta última página poderão notar o Mosaic (o primeiro Web browser) com a Welcome Page do LNEC. Isto foi mais ou menos pela altura dos dois posts  seguintes nas news (Usenet), que comprovam adicionalmente o facto de já estar a usar a tecnologia HTML/HTTP no site do LNEC algures a meio de 1993. Antes portanto, de qualquer das datas mencionadas no artigo da Exame Informática.

Para fechar estas datas, podem ver a lista de cerca de 3.000 webservers que existiam a 1 de Julho de 1994 (em .PT são onze servidores; um deles o S700 e nenhum deles do PUUG ou da Telepac ou etc…).

E agora quem tiver uma pilinha maior chegue-se à frente.


28
Aug 14

O Business Plan da Esoterica

esoterica business plan


8
May 14

Why I Might Have Blocked You, Unfriended You or Uncircled You

download

 

 

 

 

 

 

 

General reasons:

  • you are a company/newspaper/spammer
  • you are a “social media expert” and “content curator”
  • you havent posted anything in the last year
  • you have benefited from and even hijacked my comments and I havent ever derived value from yours
  • you used to be a “friend” but now you ignore me and have ignored me for the last 1 or 2 years
  • you dont like me but you still followed me and took advantage of my openess and ideas (you damned hypocrite). You are probably a newspaper, journalist, reporter, company, “schmoozer” or politician.
  • I dont like you. Usually for being stupid or a “joker”. Or for your political ideas.

Twitter: all of the above

Google Plus: all of the above

Facebook: all of the above. Aditionally you’re not family, a “friend” when we’ve never met or havent met for the last 5 years

If you think that I have done any of the above mistakenly let me know.