2010


15
Dec 10

Deixem-nos Ser Empreendedores

Aqui há umas semanas atrás li um artigo (que agora não sei qual é nem onde foi porque os sistemas actuais de bookmarks não valem um peido) onde se falava de como tornar um país mais atractivo para o empreendedorismo. E hoje apareceu na minha lista de artigos para ler um post sobre “Quem São os Empreendedores”, onde é traçado um perfil do empreendedor comum.

Vão lá para o fundo do infográfico e vejam quais são os problemas típicos dos empreendedores nos EUA: os mesmos que em Portugal. Ou seja, acima de tudo os custos com o Estado social(ista); impostos e segurança social e etc. Em Portugal, feitas bem as contas, a taxa de impostos paga por uma empresa nos primeiros anos de vida pode ser 40, 50 e 60%. A reacção dos meus alunos de Entrepreneurship e Business Planning foi engraçada quando confrontados com esta realidade. Especialmente os alunos estrangeiros (Erasmus), que são neste momento cerca de 30% na Universidade Católica.

O que é que podia ser feito para que Portugal fosse mais empreendedor e atraísse mais empreendedores? Aqui vai a minha listinha para o Pai Natal:

  • para as empresas com menos de 3 anos e/ou menos de 100.000€ de facturação, permitir o diferimento dos pagamentos da Segurança Social. Não é eliminar os pagamentos ou a Segurança Social (embora isso fosse a situação ideal). Os pagamentos devidos à Segurança Social seriam contabilizados e teriam de ser pagos assim que a empresa ultrapassasse os limites referidos. Em suaves prestações, claro.
  • para as empresas com menos de 3 anos e/ou menos de 100.000€ de facturação, permitir o diferimento dos pagamentos de IRS e IRC. Não é eliminar. Os pagamentos devidos seriam contabilizados e teriam de ser pagos mais tarde, depois de ultrapassados os limites referidos
  • se dentro dos 3 anos referidos a empresa tivesse de fechar, os pagamentos não tinham de ser feitos. O Estado, se quer empreendedores e empreendedorismo, tem de ser parceiro no risco: partilha nos lucros (ie. cobra impostos) mas também partilha nas perdas.
  • EDIT: IVA contra recibo em vez de factura para as novas empresas ( @jneves )
  • adicionalmente, e especialmente tendo em conta que o desemprego nas camadas mais jovens não de 9, 10 ou 11% mas sim de 20 ou 25%, abolir durante os mesmos 3 anos de uma empresa, para empregados com idade inferior a 25 anos, a aplicabilidade do salário mínimo.
  • finalmente, permitir que uma empresa, antes de completar 3 anos e/ou ter menos de 100.000€ de facturação, possa fechar de forma liminar, sem abertura de falência, administradores judiciais, pagamento de indemnizações, etc

Garanto-vos que em 3 anos o empreendedorismo duplicava e que passados esses 3 anos o acionista Estado estava a receber dividendos (ie. impostos) bem maiores do que os que obtém actualmente.

O melhor que o Estado pode fazer para promover o empreendedorismo é sair do caminho e deixar-nos trabalhar. Depois faziamos contas mais tarde.


12
Dec 10

O Ataque dos Especuladores Financeiros

A crise do açúcar chega a todo o lado. A Cristina, quando ouviu a notícia, pediu-me para ir ali à mercearia do Sr Silva buscar alguns pacotes de quilo, não fosse o Diabo tecê-las.

Lá fui…

“A coisa não tá fácil”, disse-me o Sô Silva. “A gente até vendia mais, tem vindo muita gente comprar. O problema é que não conseguimos arranjar mais”. Claro, está bem de ver, ficou tudo assustado de não ter com que fazer as filhozes e toca de açambarcar. “Se conseguissemos arranjar mais”, diz o Sô Silva, “sempre vendiamos mais qualquer coisita e sempre se ganhava mais algum, não é verdade? Nós compramos mais barato e vendemos um bocadinho mais caro, é certo. Mas também temos algum trabalho e também temos de fazer pela vida, não é?”. Sim, de facto é. “O problema”, diz o Sô Silva, “é que o País está em crise por causa do ataque dos especuladores da finança internacional. Querem ganhar dinheiro fácil à nossa custa”.

De facto… completamente imoral essa coisa dos especuladores financeiros comprarem dívida Portuguesa barata para depois a venderem mais cara.


7
Dec 10

Dominio uiquiliques.org.pt: Domínio Configurado

Ah bom… Este claramente já é um projecto meu, que não se confunde com mais nada.

Fica então o endereço: www.uiquiliques.org.pt


From: Servico de Registo de Dominios em PT
To: mfvalente@gmail.com

Caro contacto do dominio acima referido,

O dominio uiquiliques foi configurado.

Aguarde algumas horas até que a propagação esteja completa.

Ao dispor para quaisquer esclarecimentos adicionais, apresentamos os melhor=
es cumprimentos.


6
Dec 10

Dominio wikileaks.org.pt: Remoção Imediata na Sequência de Apreciação Jurídica

Acho que nem vale a pena comentar, discutir legalmente e/ou ir para arbitragem ou para os tribunais. A justificação é claramente uma desculpa legal esfarrapada para negar o dominio e para fugir com o rabinho à seringa, não vá alguém no Governo depois ter de vir mandar umas cacetadas na FCCN.


Caro Titular e Entidade Gestora do Domínio acima referido,


From: Servico de Registo de Dominios em PT
To: mfvalente@gmail.com

Na sequência da verificação e apreciação jurídica efectuada nos termos do artigo 31º e 32º do Regulamento de Registo de Domínios de .PT, com o depósito legal n.º311422/10, procedeu-se à remoção imediata do domínio em epígrafe uma vez que se detectou não estarem cumpridas as condições sobre a composição de nomes de domínio e respectiva base de registo, designadamente:
- O nome de domínio solicitado induz em erro ou confusão sobre a sua titularidade, pelo que não pode ser aceite nos termos da alínea b) do n.º 1 do art. 9º do Regulamento.

Em caso de conflito sobre nomes de domínio ou caso não se conforme com a decisão da FCCN de aceitar ou remover determinado nome de domínio, o titular pode recorrer à arbitragem designando para o efeito o Centro de Arbitragem especializado na matéria: ARBITRARE. Para mais informações: www.arbitrare.pt.
Ao dispor para quaisquer esclarecimentos adicionais, apresentamos os melhores cumprimentos.


13
Oct 10

Obscenidades e Palavrões

Já aqui não escrevo há um tempo, tem andado a passar de semana para semana, mas enfim. A ver se volto ao activo brevemente.

Mas, no entretanto, há algo que merece ficar guardado, registado e publicado aqui (para conhecimento e beneficio de alguns leitores e familiares)…

Quem me conhece (pessoalmente e regularmente) sabe que eu cá sou como a Maria João: digo asneiras e palavrões comó caralho. Em cada 10 frases sai uma uma bujarda. O que é bem melhor do que o meu irmão, que é frase sim frase não. São os efeitos de ter nascido em Trás-os-Montes, filho de gente nortenha, onde é perfeitamente normal ouvir um mirandês “carai” que muito chocou uma professora minha do ciclo preparatório (lisboeta, claro) quando um pai a pronunciou numa reunião.

Assim sendo, e roubado directamente à Maria João, aqui fica o registo do actor Miguel Guilherme a ler um texto do Miguel Esteves Cardoso, que é de um gajo se cagar a rir.