2009


22
Dec 09

Unfuddle is made of awesome! http://unfuddle.com/ Basecamp+Github


20
Dec 09

I used to be a maven/mensch but I left due to the newbies, the brands, the smores and the bitches http://ow.ly/O0qX


19
Dec 09

“Vaga de frio em toda a Europa e Espanha pode chegar aos 20 graus negativos”. É o chamado “aquecimento global”… Só Espanha é que se safa.


19
Dec 09

As Escolhas do MV (XIV)

Desta vez comecei mais cedo, acho que vai dar para postar antes da meia noite:
  • a tecnologia é uma coisa muito bonita. Serve para uma carrada de coisas, é preciso é ter uma visão geral dela e perceber quais as tecnologias que podem ser uma vantagem quando aplicadas ao “negócio”. Isto é um dos conceitos base que tentamos ilustrar nas aulas de MIS (Management Information Systems). O “negócio” também pode ser, por exemplo, a Administração Pública ou a Justiça. Isto vem a propósito de não conseguir perceber tanto problema com as fugas de informação do Ministério Público e dos Tribunais. É que existe tecnologia para identificar os tipos de papel. Existe tecnologia para perceber em que impressora foi impresso um documento. Existe tecnologia para tornar cada cópia de um documento numa versão única, conforme a quem for distribuido (e, antes que perguntem, resistente a fotocópia). Simples. Só é preciso que as tecnologias sejam aceites por quem de direito e que quem de direito esteja disposto a alterar os processos de trabalho arcaicos.
  • para os empreendedores fica o link para um artigo com uma lista resumo dos melhores conselhos para empreendedores que existem na web.
  • um dos subgéneros musicais que sempre curti é o chamado funk metal, uma mistura (óbvio) de funk e de hard rock ou heavy metal. E quem melhor que uma banda de não-caucasianos “to funk you up”? Apresento-vos os Living Colour. É ouvi-los em versão mais funk do que metal no “Love Rears Its Ugly Head”. Ou, em versão mais metal do que funk, no “Cult of Personality” (letra dedicada aos “iluminados” em Copenhaga). Se não gostam nem de funk nem de metal, devem ser uns “bóbinhos” que gramam coisas tipo Soul ou Calypso. Então tomem lá o “Glamour Boys” (“I’M FIERCE!”) que os meninos também tocam disso. Isto vem a propósito do facto que os vou ver na próxima 3a feira no Santiago Alquimista. Caso não tenham reparado, o vocalista Corey canta pra catano.
  • para vídeos fiquem-se lá com o de outra banda de rock (rock cristão; sim, também há sem ser coisas do Demo) com um vocalista que também canta comó catano: Stryper, Calling on You. Validem lá o catano e o cristão nesta música: Jesus Makes Me Wanna Sing. Ou ponham lá um dos meninos do Ídolos a cantar o Honestly.
  • com esta história de Copenhaga não paro de me espantar com a pretenciosidade da raça humana. Não só estamos convencidos que as merdas que fazemos afectam o planeta, como adicionalmente estamos convencidos que podemos fazer alguma coisa para alterar o clima do planeta. Eu não estou convencido. Nós ao pé das baratas somos uns tansos. Plâncton então nem se fala. As emissões de CO2 de vulcões põem essa história dos carros a um canto. Mas isto é sabido. É conhecido. Há até cientistas que escondem o facto de a temperatura média do planeta estar a descer. Já há uns anos que saiu um livro chamado “The Skeptical Environmentalist” que demonstrou a tanga ecologista. Ah, convém dizer: o autor ERA um ecologista.
  • com mais uma falha de um banco, a crise do Dubai e os problemas da Grécia, voltou a ser moda vilipendiar o capitalismo. As pessoas não percebem ou não querem perceber que a razão da crise do subprime (subprime = empréstimos a pessoas que não os podiam pagar) foi devida a políticas socialistas. É que o crédito para a habitação tinha de ser democrático, toda a gente tem direito a uma casa. E os bancos foram pressionados a emprestar dinheiro. Quem não se lembra das famosas “taxas bonificadas”. O mais ridículo disto tudo é que o governo socialista dos EUA (sim, o Bush era socialista) foi avisado por Ron Paul, um dos candidatos à presidência nas últimas eleições. Vale a pena citar uma parte acerca do estado dos bancos Fannie Mae e Freddy Mac (bancos do Estado, a CGD lá do sitio): “by transferring the risk of a widespread mortgage default, the government increases the likelihood of a painful crash in the housing market”. Isto foi escrito em 2003, 5 anos antes da crise do subprime. A propósito das últimas eleições americanas: está quase a fazer 1 ano. Então Obama, o salvador da Humanidade e arredores, ainda não fez nada? Em 1 ano o gajo ia partir a loiça toda. Até agora zero. Até a esquerda americana já se está a chatear com o homem.

AH! Desta vez foi antes da meia noite (23:49)!


17
Dec 09

3 burros na TVI a falarem da morte de Samuelson. “Ah a ideia da destruição creativa é brilhante”… Oh burros! essa ideia é do Schumpeter, não é do Samuelson…